07/05/2017

Rioderguz: E se não houver outra vida?

Cresceu ouvindo dizerem
que deveria estudar,
para uma vida melhor
ter
em um futuro
incerto.

Que cresceria,
casaria,
teria filhos,
e morreria.

No meio tempo,
frustração
e um emprego
que garantiria
seu sustento.

Como se a vida,
viesse com um manual de instruções,
e todos devessem se encaixar
nesse molde tão estreito.

Acreditava em vida
após a morte,
pois o tempo que aqui tinha
não lhe era completo.

Passava seu tempo
cumprindo as obrigações
que nunca fez questão de fazer parte,
para numa hipótese remota
poder viver tudo
que não viveu
em uma outra vida
que nem sabia
se um dia
chegaria a viver.

E se,
no final de tudo,
não houver outra vida?

Essa ele poderá
dizer
que viveu,
ou apenas existiu
enquanto passava por ela?

04/05/2017

Epifania de quinta: Não é sobre a chegada, mas sim, o caminho

Não quero saber onde estarei daqui dez anos. Pode ser que eu esteja casada e com um filho. Que tenha trancado a faculdade para seguir um sonho maluco. Ou talvez eu esteja viajando pela Europa, sem previsão de volta.

Não quero planejar meus próximos anos. Eu sempre fui muito criteriosa e imaginativa em todos os aspectos da vida: aos 15 anos, imaginei que quando chegasse aos 20, eu seria uma mulher bem resolvida, com um emprego incrível e trabalhando naquilo que eu mais gosto de fazer.

16/04/2017

Rioderguz: Você é mais do que isso

Você não é isso.
Não é sua altura,
seu peso,
sua cor,
seu signo,
seu nome,
nem sua idade.

Você é a curvatura
do teu riso,
a sinceridade
em seu olhar,
os livros que leu,
os filmes que assistiu,
as pessoas
que por sua vida passaram.

14/04/2017

Epifania de sexta: Hoje pensei em lhe escrever


Estava naquela padaria que costumávamos ir aos domingos de manhã. Sentei no fundo, em uma mesa com duas cadeiras. Pensei em lhe escrever, pois queria saber como as coisas estavam para você, mas acabei deixando de lado, com medo de que me interpretasse errado.

Acontece que vivemos em uma época em que admitir saudade, é sinônimo de carência. Parece que devemos sempre demonstrar menos o que sentimos, pois mostrar o que se sente é abrir uma ferida esperando que o outro a cutuque e faça sangrar.

Bobagem de uma geração que precisa amar!

10/04/2017

Vamos falar sobre os nossos sonhos - e o que vem após sua realização

Em dezembro de 2016, fiz uma postagem falando sobre a realização de um sonho meu - ter meu livro publicado. Para quem não leu ainda, é só clicar aqui.

Até um tempo atrás, o blog se chamava "Ser Escritor(a)", o que, por si só, já falava muito bem sobre o meu sonho. Acabei mudando o nome por motivos pessoais. Foi uma mudança necessária, digamos assim. Mas o foco aqui não é esse!

Vamos falar sobre os nossos sonhos, mas além disso: o que vem depois que conseguimos o que sempre objetivamos atingir.